quinta-feira, 24 de setembro de 2009

CAOS

Quando Deus quer fazer algo novo, trazer algo novo, há necessariamente um tempo de caos. “Caos é uma ordem não conhecida”. Caos é como um desarranjo, uma desarrumação. É como se algo acontecesse, mas nada está a acontecer. Estamos num lugar, mas não temos a certeza onde estamos, nem para onde vamos e temos por isso muita vontade de voltar para trás. Ficamos nervosos. Ficamos inseguros, sem chão.
O caos vem à nossa vida porque Deus está a mudar até a ordem pela qual O conhecemos e pela qual funcionamos para Ele com os nossos dons. Chegamos a um ponto onde a maneira antiga de fazer as coisas, cai por terra, mas a coisa nova também não se vê ainda e aí, a nossa visão fica mesmo confusa.
Mas Deus paira sobre nós. Vemos isto na criação, no capítulo 1 de Génesis. Por um tempo, por um propósito necessário, tudo estava sem forma e vazio. A expressão no hebraico é tohu bohu, sem forma e vazio.
Já passei por vários destes tohu bohus na minha vida, onde parece que Deus está a querer levar-me para um outro nível, mas eu continuo a fazer as minhas coisas e nem me apercebo que aquilo já nem faz sentido. Nem sei se estou de cabeça para baixo ou para cima...
O grande perigo para um novo mover de Deus é o velho que ainda funciona. E às vezes o velho serve-nos tão bem, até mesmo estando vazio...
Neste momento estou à procura do novo. A ordem que não é conhecida ainda, persiste. Mas eu sei (como sei!) que o Espírito de Deus paira sobre o vazio, sobre o caos e daqui a pouco Ele vai dizer: HAJA!
Quando a Palavra for dita, haverá dia, noite, águas separadas, vegetação...vida! Mais, haverá um jardim e tudo fará sentido outra vez.

3 comentários:

  1. É isso mesmo, amiga... o apego cômodo ao que é velho é terrível e pode nos impedir de prosseguir rumo ao novo, inda mais que esse novo vem do caos.
    Vamos em frente, querida Sarah, vendo ou não a "ordem" diante dos olhos!
    Bela reflexão!

    ResponderEliminar
  2. Olá Sara, muito bom artigo...só uma questão que me parece pouco esclarecido: Consideras o velho como caos? A possibilidade de uma continuidade, progresso e desenvolvimento não poderá ser uma via de transição entre o velho (anterior) e o novo???

    Bênçãos

    João Pedro

    ResponderEliminar
  3. Não, JP, o velho não é caos. É "ponte" do que foi para o que vai ser, pelo menos tem sido assim na minha vida. Mas ás vezes a "ponte "leva tempo a construir...

    ResponderEliminar