terça-feira, 8 de setembro de 2009

Tempos Trabalhosos...


( O texto abaixo foi escrito para www.genizahvirtual.com)
“TEMPOS TRABALHOSOS...”


A primeira década deste século, está a chegar ao fim. Estamos navegando em mares com muita ondulação. O século começou com medo, sacudiu o receio logo a seguir, esboçou um sorriso leve de esperança, para logo a seguir sentir a tremedeira de uma crise que atingiu tudo e todos.
O futuro dos próximos dez anos avizinha-se estranho a todos os níveis – até para a Igreja.
De todos os lados nos chegam as notícias de um corte, uma proibição, uma nova lei, um novo modo de vida, imposto por um grupo de gente que tem o direito de viver, sentir e crer no que lhe apetecer, mas que, subitamente, adquiriu um poder que a continuar assim, dentro de pouco tempo nos esmagará sem nos apercebermos que estamos debaixo de uma imposição que não faz sentido.

O “politicamente correcto” faz-se a partir do que ordenam, exigem e reclamam. Desde a proibição da oração nas escolas, ao silenciar do sino milenar na torre das igrejas, tudo tem que ser em função destas almas.
Por outro lado - do outro lado, para ser mais correcta, há uma outra invasão que quer controlar de outra maneira: Deus está à nossa disposição para o que queremos e exigimos.
Somos Seus filhos, temos direitos, podemos confessar, reclamar e possuir.No meio destes “vendilhões do templo”, a moeda de troca é bênção por dinheiro, oração por oferta, sucesso por vanglória e sinais exteriores de riqueza.
Por favor, não invadam Portugal!
Fiquem bem longe destas fronteiras. Uns e outros. Já nos chegam os problemas “lusos” com que temos que lidar todos os dias...
Já sabíamos que viriam “tempos trabalhosos”.


O que vai fazer a Igreja, a Noiva, diante de forças tão estranhas e contrárias ao legado de Jesus Cristo? Valerá a pena gritar contra a invasão? (Acho que ninguém nos ouve...). Desfilar nas ruas em protesto? (Não faz mossa...) Escrever, usar os meios actuais à nossa disposição para despertar consciências e alertar os incautos?

Por favor respondam!
Eu preciso respostas!

***Sarah Catarino é lider feminina portuguesa, presidente da AGLOW Portugal, oradora internacional, e co-produtora do programa Mulheres de Esperança da Rádio Transmundial de Portugal. Dica da Betânia ALVES (A mesma Bê Pirola, só que sem o nepotismo!!!)




2 comentários:

  1. Como sabes, Sara, tenho uma perspectiva confiande e optimista perante o futuro, a minha teologia e posição escatológica assim o permite.
    Recuso-me a olhar ao redor e perante o cenário instalado considerar os tais "tempos trabalhosos".
    Tempos que requerem determinação e empenho da Igreja, sempre caracterizaram cada momento da sua história, mas os tais tempos que a Bíblia refere, só com muita imaginação se aplicam aos actuais.
    Considera, como exemplo, os tempos que a Europa passou quando foi afligida pela peste negra, e, não foram os tais "tempos trabalhosos", no entanto foram de certo muito mais complicado que os actuais.
    Podia enumerar outros momentos, mas para não ser longo, apenas desejo realçar que é tendência humana, explicado sociolagicamente, tentar atribuir à contemporâneadade os tempos mais complicados e difíceis; Moisés Espírito Santo explica isso muito bem.
    Eu acho que precisamos mudar alguns aspectos da nossa teologia e de certo teremos uma diferente perspectiva, quanto mais não seja, elimina-mos a angústia que nos persegue.
    João Pedro

    ResponderEliminar
  2. Querido amigo JP,
    Os " tempos trabalhosos" a que me refiro não têm nada a ver com falta de esperança ou um olhar mais sombrio em relação à sociedade. Sempre os houve em toda a história humana. Referia-me ao amor de muitos a esfriar-se, ao desempenho mercenário dos que se dizem ministros de Deus...que a coisa está feia,está!

    ResponderEliminar