segunda-feira, 26 de outubro de 2009

PEDE, NÃO TENHAS MEDO!

Há imensas coisas que nos impedem de pedir, mas, na maioria das vezes, não pedimos por uma questão de orgulho: não queremos que os outros conheçam a nossa necessidade, não admitimos que somos pobres em alguma área da nossa vida, recusamo-nos a expor a nossa debilidade porque isso nos traria para um patamar de inferioridade...
O mais interessante é que fazemos o mesmo em relação a Deus. Vestimo-nos de uma capa de falsa humildade e evitamos contar-lhe os nossos sonhos, não somos capazes de arriscar a pedir coisas acima do que é “normal”.
Dei comigo a meditar sobre um texto por demais admirado e que jamais perde o seu sentido de aventura e de conquista. Está lá no capítulo 14 do livro de Josué. Calebe aproxima-se do general de Israel e faz-lhe um pedido que quase roça o ridículo: “Dá-me este monte”. O monte a que se referia, era Hebrom, habitado na época pelos filhos de Anaque, verdadeiros gigantes. Hebrom era um lugar que teria de voltar à posse dos filhos de Israel, pois ali Abraão vivera, morrera e tanto ele como os outros patriarcas e suas mulheres haviam sido sepultados, à excepção de Raquel.
Depois de Calebe conquistar Hebrom, o lugar foi separado para os levitas e tornou-se uma cidade de refúgio. Anos mais tarde, neste memo local, David foi ungido rei e lá reinou 7 anos e meio.
O que Deus me tem dito é que tudo quanto é meu por direito e por promessa, eu vou possuir. Os gigantes podem ser muito grandes, mas Ele prometeu-me esse monte! A conquista do Hebrom que tenho de possuir, não será para mim apenas, mas para que outros sejam abençoados, remidos, separados para Deus e ungidos para o que Ele quiser. No meu caso, estou a reclamar a vida das mulheres desta nação. Eu sei, eu vejo, como se fossem gravadas a ouro, as promessas que Deus me tem dado. Cada uma delas será cumprida. Os gigantes são grandes, poderosos e alguns bem feios, mas Ele prometeu-me esse monte, coisas boas e fiéis e, em oração e fé, tenho de conquistar esse Hebrom. Não será para o meu prazer, mas para a Sua glória, para que outros vejam o poder de Deus e a Sua vontade a ser cumprida.
Receio de pedir? Porquê? O pedido é arrojado? Tanto melhor! Calebe já tinha 85 anos quando subiu para derrotar os filhos de Anaque. Josué podia ter tentado colocar algum juízo na sua cabeça, pois o homem já tinha dado o que podia dar, mas o seu argumento era muito forte: “Eu tenho uma promessa de Deus!
Enquanto escrevo isto, sobem ao meu coração outras promessas de Deus, algumas que já tinha esquecido...é tempo de reclamar todos esses montes, com ou sem gigantes, porque se Ele prometeu...vou possui-los!

3 comentários:

  1. É isso mesmo minha Sara!

    Estou contigo nessa. Vamos sonhar! Deus quer que ousemos sonhar coisas grandes. Peça, e Ele dará, e quando pedir não esqueça de mim... lol...

    Até sábado na conferência Aglow!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Mais uma vez, obrigada por palavras tão encorajadoras! (tenho tantos sonhos! :))

    ResponderEliminar
  3. No caso de Caleb, não eram só sonhos. Eram promessa! Faz diferença!

    ResponderEliminar