quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Uma mulher de bom gosto



Não há nada mais atractivo para os olhos de uma mulher do que vestidos, jóias e...homens. Não sei se coloquei isto na devida ordem...
Quando encontramos uma amiga no nosso dia a dia ou num lugar especial, os nossos olhos caem naquilo que ela traz vestido. (Fica-lhe bem... que antiquado... onde terá descoberto esta roupa... já não se usa... já a vi com este trapinho mil vezes...etc.)
Por outro lado, se perguntarmos aos nossos homens depois de uma festa o que fulana trazia vestido, a sua resposta será invariavelmente: “Sei lá! Era azul... não, era verde!”. Mas NÓS somos capazes de relatar os pormenores todos...
A Bíblia Sagrada, fala também acerca do nosso vestir. Há algumas referências interessantes sobre o assunto, mas gostaria de mencionar uma mulher designada no trecho sagrado como “mulher de honra”, cujas virtudes, actividades, gostos, negócios e roupa (imagine!) são descritos com grande pormenor. Os tecidos de que eram feitos as vestes desta mulher têm muito pouco a ver com o que usamos hoje. Ela fazia parte de uma cultura oriental, onde as cores e as misturas de fios nada têm a ver com os nossos gostos de mulheres modernas ocidentais e onde a confecção de todos os materiais era feita pelas próprias mulheres.
Para não perdermos muito tempo, vamos olhar para o guarda-roupa desta mulher tão especial e importante, ver exactamente as palavras bíblicas que o descrevem:

Força – A força da sua roupa não tem a ver com o tecido mais forte ou mais grosso, mas com
· preparativos importantes para a sua casa
· a ordem que coloca no seu viver diário
· o seu envolvimento saudável com a sociedade
· a sua confiança em Deus
· a sua mente equilibrada que lhe proporciona força interior e determinação.

Glória – Esta palavra significa “esplendor”. Com certeza que já encontraram pessoas que parecem ter um brilho de beleza à sua volta. Isso tem a ver com a dignidade do seu carácter, das suas acções. Parecem ter sobre si um toque de majestade, de realeza. Impressiona-nos que nesta mulher, não há nada pequeno, mesquinho, vulgar. A grandeza da sua alma, aliada à sua conduta graciosa, deixam transparecer uma beleza que não podemos chamar outra coisa senão dignidade, glória.

Esperança – Esta é uma peça de vestuário cara e muito rara no mercado da vida. Vivemos num tempo tão sombrio, tão inquietante, tão imprevisível. Onde vamos buscar a esperança? Onde se adquire tal produto? Essa esperança não é apenas uma ideia vaga que tudo mais ou menos vai dar certo. Essa esperança tem a ver com um facto muito importante: Quando Deus está no controlo da nossa vida e dos nossos empreendimentos, sabemos, sem sombra de dúvida que o soberano absoluto do Universo cuida individualmente de cada uma de nós, que Ele tem o melhor para nós, que os Seus planos a nosso respeito são para bem.
Para rir do futuro, é necessário estar vestida de uma maneira muito especial. Esta mulher veste-se de força, de dignidade e sobre tudo isso coloca um manto de esperança.
O mundo tornar-se-á um lugar melhor, mais digno, mais belo, se cada uma de nós se vestir desta maneira.

A força e a glória são os seus vestidos e ri-se do futuro!” Prov 31:25

terça-feira, 29 de setembro de 2009

TERCEIRA IDADE


Quem disse que não prestam, que “saiam do caminho” que “já estão acabados, arrumados”? Quem disse, está errado, porque a Bíblia diz que “ainda na velhice darão frutos!”
Tenho no meu quintal uma videira com mais de 100 anos. Não está muito cuidada, (também é só uma!). A coitadita cria folhas novas em cada estação, fornece alguma sombra, pois está por cima de uma latada, misturada com umas quantas outras trepadeiras. Pois imagine-se que este ano deu umas uvas maravilhosas! Bebemos sumo, comemos as ditas, regalámo-nos a ir à videira buscar um fruto inesperado, mas bom.
Pois acho que é isso mesmo que acontece com certas pessoas que, chegando a uma certa idade, de repente se apercebem que ainda há lições para aprender, mundos a descobrir, horizontes a explorar.
Uma Universidade Sénior em Setúbal (e noutros pontos do país), é o resultado deste florescer de novo para a vida. Fiquei fascinada a ouvir o reitor da mesma, meu amigo Dr. Brissos Lino e mais fascinada ainda pelo facto que estas pessoas não estão inscritas para prosseguir carreiras, para terem um lugar no mercado de trabalho, mas pelo simples prazer de aprender, de conviver, de ir buscar aos novos saberes, um gosto doce e dourado que só essa idade é capaz de fornecer ao homem.
Para Deus não há idade de beleza, não há faixa etária predestinada ao sucesso. Ele ama todos os homens, individualmente e mais do que poderemos imaginar, também é Ele que dá “força ao cansado e vigor ao que já não o tem”.
O meu conselho é que se já “passou da idade”, se lhe dizem que já não é capaz, não se deixe abater, prove que é capaz, persiga um sonho que ainda não realizou, use um chapéu da cor mais extravagante que encontrar, pois você tem o mesmo direito à vida, ao amor, à capacidade, como qualquer outro ser humano.
Acima de tudo, apesar de tudo, creia que Deus o ama incondicionalmente e que os seus dias estão guardados nas Suas mãos, não na ideia cultural que os homens possam ter sobre a idade.
Levante-se desse lugar de descanso forçado a que o sujeitaram porque é velho e vá atrás de algo que lhe faça bem, que lhe dê prazer e alegria. Fruto, pode nascer de uma videira já velha, quanto mais da sua vida!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

CAOS

Quando Deus quer fazer algo novo, trazer algo novo, há necessariamente um tempo de caos. “Caos é uma ordem não conhecida”. Caos é como um desarranjo, uma desarrumação. É como se algo acontecesse, mas nada está a acontecer. Estamos num lugar, mas não temos a certeza onde estamos, nem para onde vamos e temos por isso muita vontade de voltar para trás. Ficamos nervosos. Ficamos inseguros, sem chão.
O caos vem à nossa vida porque Deus está a mudar até a ordem pela qual O conhecemos e pela qual funcionamos para Ele com os nossos dons. Chegamos a um ponto onde a maneira antiga de fazer as coisas, cai por terra, mas a coisa nova também não se vê ainda e aí, a nossa visão fica mesmo confusa.
Mas Deus paira sobre nós. Vemos isto na criação, no capítulo 1 de Génesis. Por um tempo, por um propósito necessário, tudo estava sem forma e vazio. A expressão no hebraico é tohu bohu, sem forma e vazio.
Já passei por vários destes tohu bohus na minha vida, onde parece que Deus está a querer levar-me para um outro nível, mas eu continuo a fazer as minhas coisas e nem me apercebo que aquilo já nem faz sentido. Nem sei se estou de cabeça para baixo ou para cima...
O grande perigo para um novo mover de Deus é o velho que ainda funciona. E às vezes o velho serve-nos tão bem, até mesmo estando vazio...
Neste momento estou à procura do novo. A ordem que não é conhecida ainda, persiste. Mas eu sei (como sei!) que o Espírito de Deus paira sobre o vazio, sobre o caos e daqui a pouco Ele vai dizer: HAJA!
Quando a Palavra for dita, haverá dia, noite, águas separadas, vegetação...vida! Mais, haverá um jardim e tudo fará sentido outra vez.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Senhora do Cabo


Na minha aldeia celebrou-se uma festa religiosa dedicada à Senhora do Cabo Espichel. É uma festa que acontece cada 25 anos. O povo inteiro mobilizou-se para pintar, alindar, embelezar a aldeia para a entrada triunfal da procissão. Tinham um coche puxado por cavalos de raça, em cima do qual viajava a imagem de poucos centímetros, quase invisível aos olhos do passeante...as ruas ficaram cheias de ramos no chão, as janelas engalanaram-se de colchas e flores, para receber, segundo eles, a “mãe”, a “rainha do céu”...
Houve muito trabalho, muito empenho envolvido num evento que, as pessoas desejam se repita daqui a 25 anos, pois isso significa que estarão ainda vivas.
O programa da festa incluiu concertos, missa campal e no final, o tradicional baile. Hoje vão começar a tirar os arcos, as luzes, as colchas das janelas. O que fica? Uma “santa” peregrina, guardada dentro da capela, que a maioria das pessoas não vai mais visitar, pois o que lhes interessava já passou – a festa.
Estes foram também dias em que alguns dos nossos conterrâneos curiosos pela nossa ausência, se aproximaram para perguntar a razão“por que não gostamos da Senhora”. Que bela oportunidade para dizer-lhes como admiramos não esta, mas Maria, a bem aventurada, a escolhida pelo Senhor para ser a mãe do Filho do Homem. Como ela mesmo nos ensinou a “fazer tudo o que Ele nos disser”; como ela foi obediente e submissa como todos deveríamos ser; como por causa da sua submissão à vontade de Deus, ela transportou em si o Verbo divino, um privilégio jamais concedido a outra mulher; como as virtudes por ela demonstrada deveriam ser exemplo para todos nós; como há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens – Jesus Cristo, Homem.
Foi uma oportunidade única para esclarecer a fé e para aproximá-los mais de nós em vez de ficarmos afastados. O resto, não é trabalho nem responsabilidade nossa, mas do Espírito de Deus, convencê-los e atrai-los. E ainda bem que assim é, quanto mais vivo, mais consciente estou que nunca seria capaz de fazer tal tarefa.


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

RECOMEÇAR


“Ninguém pode retroceder e ter um começo totalmente novo, mas qualquer pessoa pode começar agora a tentar um final totalmente novo”. (Siembre un geranio en su cráneo – Barbara Johnson)

Palavras sábias. Tiradas directamente da experiência de alguém que, apesar de ter um presente duvidoso, descobre que não pode recomeçar como era, mas decide fazer do seu final um momento de apoteose.
Pois foi incentivada por isto e por alguns amigos, que resolvi recomeçar a escrever o meu blog. Por erro ou avaria técnica, o blog foi retirado e eu perdi com ele muitas coisas. Uma delas foi um grande entusiasmo em escrever os meus pensamentos, as minhas alegrias, descobertas, perdas e dores, porque já me habituara aos amigos fieis que me seguiam em todo o mundo e com os quais me sentia ligada cada vez que clicava nos contadores e via os pontinhos vermelhos piscando em várias nações. Perdi também muito material que, por estupidez, não guardei a tempo. Estou a fazer luto.
Mas vou recomeçar.
Hoje há na blogosfera espaços de muita qualidade, que debatem as mais variadas matérias, alguns dos quais sigo atentamente. Não pretendo de modo algum comparar-me com eles, mas desejo que ao abrir o meu coração, a minha perspectiva de vida leve alguém a reflectir no que é essencial.
Quero que as minhas simples divagações levem os meus amigos a pensar mais alto e mais longe. Eu não me contento com menos do que o céu!
Estou de volta...seja o que Deus quiser!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

O MEU SALMO

O livro dos Salmos é um dos meus favoritos na Bíblia. Um dia quando lia, lembrei que também eu poderia dedicar um salmo ao Senhor meu Deus. Aqui vai!

Senhor, Tu tens sido o meu Deus fiel e misericordioso.
Ainda no ventre da minha mãe, a Tua mão já me cobria e abençoava.
Preservaste a minha alma do meu inimigo. Tiraste-me do laço e da armadilha que me preparava.
Quando ele pensava que eu já estava destruída, a Tua mão me arrancou, me libertou e me colocaste num lugar seguro.
Nem sempre entendi os Teus desígnios, mas a minha alma sempre te amou.
Nem sempre obedeci à Tua voz, mas a Tua fidelidade foi maior que o meu pecar.
Quando olho para o caminho que ficou para trás, ele está encoberto. Os dias de glória e de bênção recolheste nas Tuas câmaras celestiais. Os dias e as noites do meu pecar e rebelião colocaste debaixo da cruz do Teu Filho Jesus.
Quando olho para o caminho que está à frente sinto a Tua presença. Nem sempre é claro, mas a Tua Palavra ilumina os meus pés. Nem sempre é directo, mas os Teus preceitos ensinam-me os passos a seguir.
Em Tuas mãos a minha dextra está segura. Em Teu coração encontro o abrigo que procuro. Em Teu amor tenho tudo o que preciso.
Meu Deus, meu Salvador, meu Senhor, minha Rocha e minha Fortaleza!
Atende à súplica da Tua serva quando a Ti clamo.
Faz a Tua serva ver o desejo do seu coração cumprido, pois Tu és o meu prazer e o meu Deus, para sempre!

Tempos Trabalhosos...


( O texto abaixo foi escrito para www.genizahvirtual.com)
“TEMPOS TRABALHOSOS...”


A primeira década deste século, está a chegar ao fim. Estamos navegando em mares com muita ondulação. O século começou com medo, sacudiu o receio logo a seguir, esboçou um sorriso leve de esperança, para logo a seguir sentir a tremedeira de uma crise que atingiu tudo e todos.
O futuro dos próximos dez anos avizinha-se estranho a todos os níveis – até para a Igreja.
De todos os lados nos chegam as notícias de um corte, uma proibição, uma nova lei, um novo modo de vida, imposto por um grupo de gente que tem o direito de viver, sentir e crer no que lhe apetecer, mas que, subitamente, adquiriu um poder que a continuar assim, dentro de pouco tempo nos esmagará sem nos apercebermos que estamos debaixo de uma imposição que não faz sentido.

O “politicamente correcto” faz-se a partir do que ordenam, exigem e reclamam. Desde a proibição da oração nas escolas, ao silenciar do sino milenar na torre das igrejas, tudo tem que ser em função destas almas.
Por outro lado - do outro lado, para ser mais correcta, há uma outra invasão que quer controlar de outra maneira: Deus está à nossa disposição para o que queremos e exigimos.
Somos Seus filhos, temos direitos, podemos confessar, reclamar e possuir.No meio destes “vendilhões do templo”, a moeda de troca é bênção por dinheiro, oração por oferta, sucesso por vanglória e sinais exteriores de riqueza.
Por favor, não invadam Portugal!
Fiquem bem longe destas fronteiras. Uns e outros. Já nos chegam os problemas “lusos” com que temos que lidar todos os dias...
Já sabíamos que viriam “tempos trabalhosos”.


O que vai fazer a Igreja, a Noiva, diante de forças tão estranhas e contrárias ao legado de Jesus Cristo? Valerá a pena gritar contra a invasão? (Acho que ninguém nos ouve...). Desfilar nas ruas em protesto? (Não faz mossa...) Escrever, usar os meios actuais à nossa disposição para despertar consciências e alertar os incautos?

Por favor respondam!
Eu preciso respostas!

***Sarah Catarino é lider feminina portuguesa, presidente da AGLOW Portugal, oradora internacional, e co-produtora do programa Mulheres de Esperança da Rádio Transmundial de Portugal. Dica da Betânia ALVES (A mesma Bê Pirola, só que sem o nepotismo!!!)