quarta-feira, 12 de maio de 2010

O PAPA PENSA...

Não consigo afugentar uma questão (ou várias) que me perturba: quando o Papa está sozinho, mesmo sozinho, em que pensará? Nos milhões de ovelhas que ele não conhece nem sabe o nome? Nos milhares de companheiros espalhados pelo mundo sob o os quais não faz qualquer discipulado? Nos biliões que enchem os cofres do seu estado e que não tem a mínima ideia onde são gastos? Nas notícias horrendas que a TV passa todos os dias e para as quais ele não tem solução, apesar de ser poderoso? Pensará na família? Nas mulheres que conheceu ao longo da vida e para as quais se sentiu atraído como homem? Nos livros que ainda não escreveu? No propósito do seu pontificado? A quem vai deixar os seus pertences quando morrer? No seu sucessor? Naquilo que sonhava ter feito mas ficou por fazer? Na eternidade? Nos dogmas da Igreja que sabe precisavam ser mudados, mas que não são possíveis de ser tocados? No segredo de Fátima? Saberá ele alguma parte desse segredo que mais ninguém sabe? Nos países que lhe indicaram precisar visitar? Na Palavra de Deus? Pensará em Deus? Como?
Tenho ainda mais questões sobre aquilo em que o Papa poderá pensar, mas fico-me por aqui...
Como homem, há tantas coisas em que ele TEM que pensar, DEVE pensar. Como Papa, em que pensará?

5 comentários:

  1. Tenho-me feito tantas vezes essas perguntas!... E sinceramente não sei, mas acabo por sentir uma certa pena dele, porque ou sente um terrivel sentimento de impotência, ou acomoda-se à sua própria cegueira e da dos que o seguem...

    ResponderEliminar
  2. Junto uma pergunta às várias já escritas: Será que o Papa conhece a real mensagem da Palavra de Deus? Se conhece, não tem dignidade para sabendo o que está escrito continuar a pactuar com a situação existente à séculos, vivendo vendo as pessoas a serem enganadas em beneficio dele e de outros como ele que não são o que parecem e que hipocritamente continuam a levar a vida da forma mais favorável para o Estado mais rico do mundo. Se não conhece, precisa que alguém lhe abra os olhos porque a Bíblia conforme a temos hoje ( e ele também a tem), já existe à cerca de 2000 anos.

    ResponderEliminar
  3. Interessante, Sarah! E eu nunca sequer tinha pensado no que poderá o Papa pensar.

    ResponderEliminar
  4. Cara Sarah,
    Sou católico e não pude ficar indiferente ao seu post e infelizmente pelos piores motivos.
    Podia dedicar-me a rebater as críticas implícitas nas suas perguntas, mas não o vou fazer.
    Queria deixar uma pergunta para a Sarah (e já agora e para o DR): como é que se pode saber se os livros que compõem o cânon da Sagrada Escritura são realmente apenas e só os que fazem parte da Bíblia que cada um possui?

    ResponderEliminar
  5. Caro Luis, nunca foi minha intenção ofender seja quem for, muito menos o Papa. Fiz apenas perguntas que me passam pela mente quando olho para ele e já agora, para outros líderes espirituais. Por acaso até sei de algumas coias que enchem o pensamento do líder católico, bem importantes...

    ResponderEliminar