sábado, 14 de agosto de 2010

ETAPA FINAL


Aqui estou...estendida e impossibilitada de me mover. Para mim é algo absolutamente anormal, impensável quase. Mas “com a saúde não se brinca”, diz a voz popular e por isso me acomodo neste enfado. Além de ler, muito mais que o costume, ver programas de televisão (numa semana mais do que nos últimos 5 anos!), pouco mais há a fazer.
Hoje dei comigo a ver uma das etapas da Volta a Portugal em bicicleta. Um desporto bonito, saudável e que deixa os telespectadores apreciarem um bocadinho desta terra tão linda, que é a nossa.
A corrida está praticamente no fim. Amanhã corre-se a última etapa. A entrada triunfal em Lisboa. Mais ou menos já se sabe quem vai ganhar. Houve percalços pelo caminho, desistências, dores, calor, “amargos de boca” quando alguns pensavam que ganhariam esta ou aquela etapa...
Imagine que ali sentada, perna esticada, sem nada que fazer a não ser tentar recuperar a saúde, dou por mim a comparar a Volta com a minha corrida na vida... E concluo que estou quase a entrar na etapa final. Não sei os quilómetros que foram designados para esta, mas sei que estou praticamente lá. O melhor de tudo, a sensação mais bonita, é que estou convicta que vou ganhar! Porque eles (os corredores da Volta), correm por um prémio que é efémero, que não vai durar para sempre. Mas o meu prémio está guardado num lugar seguro. Vou recebe-lo das mãos do Campeão dos Séculos. Até posso já nem pedalar nos últimos metros, mas vou ganhar! Tenho essa certeza, porque Ele disse que tinha vencido o mundo e eu poderia vencer também.
Nesta corrida, posso parar de vez em quando para descansar. O Director mesmo convida a isso. “Vinde, os que estais cansados...e vos darei descanso”. Não se perde tempo no descanso, recupera-se a força para continuar. É o que estou a fazer nestes dias.
Ia esquecendo uma coisa importante: os companheiros da equipa. Estão sempre lá, incentivando, orando, aplaudindo, seja na velocidade da corrida, num problema de saúde ou no descanso merecido. E isso é maravilhoso!

4 comentários:

  1. Sarah, já parece Paulo falando, mas com bicicletas. Gostei e muito do texto.

    ResponderEliminar
  2. É verdade, Sara. As melhoras e um beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Olá Irmã Sara Catarino.
    Ouvi-a pregar uma vez na Riverside, igreja onde congrego. Estavamos em fase de mudança! Teriamos um novo templo ou não?! Estaria Deus connosco ou não neste objectivo?! Etc. A irmã trouxe uma palavra sobre Neemias, inumerou a estratégia de Neemias na reconstrução do Templo, e centrou-se no papel que cada um teve na sua reconstrução. Ainda teve tempo para brincar dizendo que não deviamos dar aqueles nomes aos nossos filhos,:-) e fechou em grande dizendo que os nossos talentos são para a glória de Deus e não nossa. E entretanto dirigiu-me a palavra! Provavelmente não se lembra, mas a irmã disse em determinada altura:" Tomem bem nota do que vos vou dizer" e eu, que estava na segunda fila peguei no bloco e na caneta para apontar. A irmã olhou para mim e disse, "não, não é para tomar notas agora". A irmã usou uma figura de estilo mas eu levei-a à letra. E esse é muitas vezes o problema dos crentes hoje. Demasiadas figuras de estilo. Oro por si, e quero que neste momento fique com uma palvra, que é para levar à letra, pois não é uma figura de estilo.
    "Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.
    Josué 1:9

    Nelson Viegas

    ResponderEliminar