sábado, 27 de novembro de 2010

CONVERSAS SOLTAS

Hoje encontrei uma senhora com quem converso algumas vezes, que me informou sobre a festa de S. Saturnino, segunda-feira dia 29 de Novembro.
Contava-me ela que este santo, padroeiro de Fanhões, era LINDO! Que a igreja tinha gasto algumas centenas de euros para restaurá-lo, para que nesta festa, o santo estivesse no seu melhor.
Perguntei-lhe quem era o tal Saturnino. Ela deu uma grande gargalhada e respondeu que não sabia, só sabia que a cara do santo era linda...
A igreja matriz de Fanhões dedicada a S. Saturnino, data de 1575 e foi restaurada em 1796. A sua construção nasceu da necessidade de a população ter uma igreja mais perto do local de residência. Tem uma só nave e torre sineira. No interior, o destaque para o coro joanino, assente em duas colunas de mármore, pia baptismal e painéis de azulejos dos séculos XVI e XVII. Singela, mas bonita, sobretudo muito antiga. Consta que foi queimada durante a I República, mas restaurada a seguir pelos fiéis. Durante a revolução do 25 de Abril, os senhores da extrema-esquerda decidiram fazer dela uma adega cooperativa, mas a coisa ficou só pelo dito.Isto eu já sabia, mas e o santo,
tão venerado nesta terra onde vivo? Por isso fui à procura. E descobri algumas coisas bem interessantes e curiosas:
De origem grega, São Saturnino é uma das devoções mais populares na França e na Espanha.Foi o primeiro bispo de Toulouse, em 250 sob o consulado de Décio e Grato.
Era uma época em que a Igreja, naquela região, contava com poucas comunidades cristãs. Estava desorganizada desde 177, com o grande massacre dos mártires de Lyon. O número de fiéis diminuía cada vez mais, enquanto nos templos pagãos as filas para prestar sacrifícios aos deuses parecia aumentar. Embora houvesse um decreto do imperador proibindo e punindo com a morte quem participasse de missas ou mesmo de simples reuniões cristãs, Saturnino liderou os crentes fiéis e continuou com a comunhão e a leitura do Evangelho.
Assim, ele e outros quarenta e oito cristãos, acabaram por ser descobertos quando se reuniam para celebrar a sua fé num domingo. Foram presos e julgados no Capitólio de Toulouse. O juiz ordenou que o bispo Saturnino, uma autoridade da religião cristã, sacrificasse um touro em honra a Júpiter, deus pagão, para convencer os demais. Como se recusou, foi amarrado pelos pés ao pescoço do animal, que o arrastou pela escadaria do templo. Morreu com os membros esfacelados.O seu corpo foi recolhido e sepultado por duas cristãs
Ora é a isto que eu chamo uma linda história de fé e perseverança. A minha grande questão depois de descobrir isto tudo, é se o povo de Fanhões que o venera e admira, sabe quem foi o santo e se deseja seguir o seu exemplo: amar a Deus, custe o que custar, mesmo que isso signifique por em risco a sua vida...
Saturnino, bispo de Toulouse, venerado na freguesia de Fanhões, concelho de Loures. Mal sabia o santo, que chegaria tão longe... Porquê?
Ele há cada mistério...

Sem comentários:

Enviar um comentário