sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

PORTUGAL


PORTUGAL

De cheiro de açucenas e madressilva, da flor da macieira, do almiscarado das figueiras, das estevas, das giestas, dos pinheiros e eucaliptos, do mosto e do azeite...
De brisas que sopram suaves nos vales; de entardeceres únicos e cálidos; de madrugadas musicadas por centenas de espécies de aves; de rios que correm tranquilos para o mar; de um oceano que já viu partir heróis e valentes e que é nosso, porque muito do seu sal são lágrimas do nosso povo...
De vinhas e trigais, de nogueirais, de amendoeiras, oliveiras e sobreiros...
De um povo que, embora embalado pelas notas pungentes do fado que o remete à saudade e ao passado, ainda acredita, mesmo tendo sido roubado da fé e da esperança...
De uma gente que abre a porta ao estrangeiro e põe a mesa aos visitantes...
De homens que continuam a inventar e a criar, mesmo sem serem reconhecidos...
De pessoas solidárias ainda que tendo pouco, que ousam ainda sonhar, mesmo sabendo que esses sonhos vão desfazer-se como nuvem passageira no profundo azul do céu...
Esta é a minha terra. Meu canto. Meu chão. Meu país lindo e único.

Sem comentários:

Enviar um comentário