sábado, 23 de janeiro de 2010

O ATENDEDOR DE CHAMADAS DOS AVÓS

Não resisti, e aqui transcrevo...


"Bom dia! De momento não estamos em casa mas por favor deixe-nos a sua mensagem depois de ouvir o sinal sonoro:
- Se é um dos nossos filhos, prima 1
- Se precisa que tomemos conta das crianças, prima 2
- Se quer que lhe emprestemos o carro, prima 3
- Se quer que lavemos a roupa e a passemos a ferro, prima 4
- Se quer que as crianças durmam aqui em casa, prima 5
- Se quer que os vamos buscar à escola, prima 6
- Se quer que lhe preparemos uns bolinhos para domingo, prima 7
- Se querem vir comer cá a casa, prima 8
- Se precisam de dinheiro, prima 9.
- Se é um dos nossos amigos, pode falar!"

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

HATI. E DEPOIS?

Tinha prometido a mim mesma que não escreveria nada sobre a tragédia do Haiti. Por várias razões, sendo uma delas o facto de que não me sinto capacitada para fazer uma análise do que se passou sem que o meu coração não se confranja e doa por tanto sofrimento e desgraça.
A outra razão é porque muita gente já escreveu coisas tão prementes e tão importantes e, quem sou eu, para acrescentar seja o que for?
Mas hoje, depois de ouvir a notícia de um outro abalo e de ver as imagens cada vez mais espectaculares que os telejornais transmitem, resolvi colocar neste espaço que é meu, (mas que abro para quem quiser ler o meu coração), muito do que vai na minha alma sobre o assunto.
Tenho um amigo que faz parte de uma ONG, que há muito tempo alimenta 7000 crianças no Haiti. Poderia até fazer uma lista de outras organizações que por lá se têm dedicado a tentar tornar mais fácil e humana a vida dos haitianos, muito antes desta tragédia.
O que me apoquenta, aflige e dói é só isto: e depois de todas estas ajudas das várias organizações humanitárias que fornecem primeiros socorros, primeiros alimentos, tendas, roupa, medicamentos e outros terminarem? Sim, porque não vão ficar lá para sempre...
E depois? Quem é que levanta casas? Quem é que constrói escolas? Quem é que estabelece as estruturas físicas e sociais que eles desesperadamente precisam? Quem cria postos de trabalho? Quem vai ensinar os homens e mulheres daquela terra a produzirem para si e para as suas famílias? Quem?
Ouvia ontem um jornalista dizer como o povo é dependente. Eles já não tinham nada antes, já eram dependentes... e depois?
Será que as pessoas por lá já se habituaram a viver sem o mínimo e vão continuar assim?
Ou o Haiti passará a ser uma memória dolorida na mente do mundo, mais um lugar na estatística dos mais pobres, dos mais dependentes, dos mais carenciados?
O hoje é trágico...muito trágico, mas o amanhã? O que será? Como será?

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

SEPULCROS CAIADOS


Estava a ler no Facebook o post de um amigo sobre “sepulcros caiados”. É uma expressão do Senhor Jesus Cristo e tem um significado bastante curioso. Naquele tempo, os judeus tinham que colocar uma marca sobre o lugar onde existisse qualquer coisa impura ou imunda. No intervalo dos dias de festa, marcavam esses lugares com cal. Não o faziam em cima do lugar, mas ao lado e bastante perto, para que se não desperdiçasse a terra de Israel. Não colocavam essas marcas sobre lugares que já todos sabiam ser impuros, mas sobre lugares duvidosos, como um sepulcro no meio do campo ou lugares abertos. Por que a chuva poderia lavar essas marcas, no primeiro dia de Adar (Fevereiro) quando reparavam as estradas, marcavam também as sepulturas com essa cal, para o efeito já explicado. A razão porque usavam cal branca, era porque se parecia com o branco dos ossos e assim, qualquer pessoa ao olhar, fazia a relação mental das duas coisas. À distância, aquelas marcas brancas até pareciam bonitas, mas dentro daqueles lugares havia vermes, podridão, matéria em decomposição.
Jesus comparou os fariseus a estes sepulcros caiados. Por fora estavam bem lavados, marcados com ritualismo, orações, esmolas, tudo exterior ao seu coração.
Quando li a frase do meu amigo, fiquei a pensar profundamente, como é possível viver assim? Será que as pessoas chegam a esse estado de “podridão” espiritual de repente? Claro que não. Um dia esquecem um compromisso com a Deus, noutro dia fecham os olhos aos ditames da Sua Palavra, noutra ocasião permitem-se entrar em terrenos que não são as veredas da justiça e, pouco a pouco, o seu coração se polui, apodrece. Nessa altura, ou atiram-se de cabeça para o pecado aberto ou pretendem continuar a mostrar o que não existe mais.
Dei comigo também a pensar que não sou eu nem nenhum de nós que tem o direito de “caiar” essas pessoas...afinal somos todos falhos. A própria Palavra de Deus encarrega-se de o fazer. É só prestar atenção e esses sinais estão lá.
O marido da senhora Íris Robinson não prestou atenção aos sinais e um dia, deparou-se com o inevitável. Tirei o trecho a seguir do "El Pais".
“Um dia, passeando pela margem do rio Lagan, no sul de Belfast, viram um antigo casarão de pedra que a prefeitura queria transformar em café. Como que por acaso, Iris Robinson tinha todas as chaves para que o negócio acabasse nas mãos de Kirk. Ela conseguiu o dinheiro, dois cheques equivalentes a 27 mil euros cada, procedentes de construtoras amigas. E, sendo ela vereadora local, não foi difícil que a prefeitura concedesse a licença ao seu namorado.O problema é que Iris, deputada em Westminster e na Assembleia da Irlanda do Norte, além de vereadora, nunca deu conta de seus interesses pessoais nessas operações. Não só sentimentais, mas também económicos. Ficou com 10% do dinheiro que conseguiu para Kirk, para saldar suas próprias dívidas. E quando eles romperam, depois de vários meses como amantes, ela exigiu a devolução do dinheiro e quis que a metade fosse directamente para os cofres da sua igreja. Os pecados da carne se redimem rezando; os da bolsa, não.”

E eu? Terei alguma coisa dentro de mim que não coloco no escrutínio do Espírito e da Palavra para ser purificado?
Queria tanto que o terreno da minha vida fosse pisado por todos os que passam, sem medo de tropeçar em algo imundo e mal cheiroso...

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

ANO NOVO

Há sempre uma certa magia na passagem de um ano para outro. Talvez porque em cada homem a esperança seja algo tão forte que o leva a sonhar com o melhor.
Através dos meios de comunicação, muita gente irá vaticinar isto e aquilo para o ano de 2010. Uns vêem nas estrelas, outros nos búzios, outros fazem as coordenadas dos signos, sei lá, cada um desejando dar um pouco de orientação e esperança para 365 dias que são uma incógnita.
Eu também gostaria de vaticinar algumas coisas. Não tenho nenhuma bola de cristal, mas tenho nas minhas mãos a Bíblia, a Palavra de Deus, que orientou o meu passado, o meu presente e por isso, sei que orientará o meu futuro. Deixe-me dizer-lhe algumas das coisas que esta Palavra diz acerca do novo ano de 2010:
· O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.
· Os planos que tenho a vosso respeito são planos de paz, de prosperidade para trazer-vos esperança...
· A bondade e a misericórdia do Senhor me seguirão todos os dias da minha vida.
· O Senhor abençoará os que O temem, tanto pequenos como grandes.
· O Senhor livra a minha alma dos lábios mentirosos e da língua enganadora..
· Abençoarei abundantemente os teus mantimentos. Fartarei de pão os teus necessitados.
· Quando andar no meio da angústia, o Senhor me revivificará e a Sua mão direita me salvará.
· Os nossos filhos serão como plantas bem desenvolvidas na sua mocidade e as nossas filhas como pedras de esquina lavradas como colunas de um palácio.
· As montanhas se desviarão e os outeiros tremerão, mas a minha benignidade não se desviará de ti e o concerto da minha paz não mudará, diz o Senhor que se compadece de ti.
· Como alguém a quem sua mãe consola, assim eu vos consolarei.
· Ora, aquele que dá a semente ao semeador e pão para comer, também multiplicará a vossa sementeira e aumentará os frutos da vossa justiça.
· Ora, Àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos... a esse, glória!

Seja o que o Novo Ano nos trouxer, estamos seguros, temos promessas infalíveis de Deus e sabemos, com toda a certeza, que Ele vai estar ao nosso lado, para amparar, consolar, ajudar, abençoar, salvar, proteger, iluminar, guiar e dirigir. Por isso, Feliz Ano de 2010 para todos os que acreditam!

12 Conselhos para o Teu Ano de 2010

1. Por mais que te falem de tristeza...continua a Sorrir!

2. Por mais que te demonstrem rancor...continua a Perdoar!

3. Por mais que te tragam decepções...continua a Confiar!

4. Por mais que te ameacem de fracasso...continua a procurar a Vitória!

5. Por mais que te apontem os erros...continua a Acertar!

6. Por mais que discutam sobre a ingratidão...continua a Ajudar!

7. Por mais que noticiem a miséria...continua a Praticar a Justiça e a acreditar na Prosperidade!

8. Por mais que te falem de destruição...continua a Construir!

9. Por mais que te preocupem as doenças...continua a vibrar Saúde!

10. Por mais que exibam ignorância...continua a exercitar a tua Inteligência!

11. Por mais que observes mentiras à tua volta...continua a procurar a Verdade!

12. Por mais que plantem o mal...continua a semear o Bem!


(Texto adaptado de Sílvia Schmidt)

1. Por mais que te falem de tristeza...continua a Sorrir!

2. Por mais que te demonstrem rancor...continua a Perdoar!

3. Por mais que te tragam decepções...continua a Confiar!

4. Por mais que te ameacem de fracasso...continua a procurar a Vitória!

5. Por mais que te apontem os erros...continua a Acertar!

6. Por mais que discutam sobre a ingratidão...continua a Ajudar!

7. Por mais que noticiem a miséria...continua a Praticar a Justiça e a acreditar na Prosperidade!

8. Por mais que te falem de destruição...continua a Construir!

9. Por mais que te preocupem as doenças...continua a vibrar Saúde!

10. Por mais que exibam ignorância...continua a exercitar a tua Inteligência!

11. Por mais que observes mentiras à tua volta...continua a procurar a Verdade!

12. Por mais que plantem o mal...continua a semear o Bem!


(Texto adaptado de Sílvia Schmidt)