quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

O MAR - A PALAVRA


A Palavra de Deus tem um poder único, transformador, revelador, criador. Quando estamos vários dias num lugar onde essa Palavra é declarada, é como se estivéssemos numa estância de descanso, como se o nosso corpo, alma e espírito fossem lavados de poeiras, de poluição e damos por nós a sair de lá com um novo brilho e uma nova luz cá dentro.
Foi o que me aconteceu a semana passada em Barcelona. Ouvi a Palavra, outra vez. Nada que não tivesse já lido e pensado, mas desta vez ela entrou no meu ouvido físico e espiritual e fez o efeito para que foi enviada.
De repente é como se uma nova janela se abrisse e a paisagem à nossa frente tomasse nova cor. Tive essa experiência uma manhã quando abri a janela do quarto e olhei para o mar. O Mediterrâneo estendia-se à frente dos meus olhos, calmo, sereno, espelhado, cheio de luz, tanta que o verde das águas parecia ter sido engolido por ela. Um oceano diferente? Não, o mesmo do dia anterior, o mesmo dos dias seguintes, mas com ondulação e cor diferentes.
É assim a Palavra de Deus. A verdadeira, a que não tem roupagens humanas e filosofias de homens. A que não é usada no púlpito para outra coisa senão para fazer aquilo para que o Espírito de Deus a envia. Que oceano! Que profundidade!
Assomo à janela outra vez antes de vir para casa. Um olhar de despedida a uma paisagem que nos incita a louvar o Criador. Hoje o mar está revolto. As ondas varrem o areal e ao mesmo tempo depositam nele o lixo do oceano. Senhor, varre o meu espírito com a Tua Palavra e traz acima tudo o que não presta: ideias, conceitos, “achismos” (eu acho...), preconceito, falta de propósito, tudo o que impede que Tu governes e reines completamente em minha vida!
O bater das ondas na praia, provoca dor na areia; a Palavra ministrada em poder, autoridade e clareza fazem o mesmo, mas esse é um exercício necessário para que eu diminua e Ele cresça em mim...

Sem comentários:

Enviar um comentário