quarta-feira, 9 de março de 2011

ENCONTROS


Nas minhas andanças por aí, conheço gente muito interessante, encontro outros muito patuscos e descubro ainda uns tantos que já nem me lembrava que existiam...
Não sei qual deles me dá mais prazer.
Os interessantes, é porque são mesmo. Têm sempre algo a ensinar, a partilhar, e parece que entram na nossa vida para acrescentar uma nova luz e um novo sabor. Não importa se são homens ou mulheres, há-os de todos os tamanhos e feitios. O que importa nesses, é mesmo o que acrescentam à minha vida.
Depois, os patuscos, para não chamar-lhes esquisitos, estranhos, são os que se aproximam com alguma intenção, às vezes nem eles sabem qual. A conversa é pouco fluida, os intervalos entre as frases difíceis de ser ultrapassados. Eu sei que eles querem qualquer coisa, mas não tenho o dom da adivinhação e eles não conseguem dizer mais que aquelas conversetas de nada... não tem a ver com gente simples ou com pouca cultura, tem mesmo a ver com pessoas que não trazem consigo o brilho para nos encantar e a palavra para nos fascinar...mas ainda assim, acho-os interessantes...
E há os outros, os tais que estavam esquecidos num canto da minha memória já gasta e que, de repente, vestidos de outras cores e quase sempre com algum peso a mais, saltam para a minha beira e querem retomar uma conversa interrompida por muitos anos de vida, luta, filhos, netos, distancias, guerra e paz. Às vezes trazem muito prazer consigo, outras vezes muitas lembranças que preferia tivessem ficado bem enterradas, algures num vale inexplorado. Falam sempre do passado, do que eram e do que tinham, tanto que, por fim, até fico sem saber onde estão no presente.
Todos eles me enriquecem, todos me ensinam, preciso deles todos. Que seria a vida se vivesse só com amigos do presente, com vizinhos com quem lido diariamente, com gente atilada e perfeita? Uma chatice.
Ainda há uns tantos (e são muitos) com quem nunca troco uma palavra. Mas deduzo também que há momentos em que o silêncio é de ouro. Acho que eles pensam o mesmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário