quinta-feira, 17 de março de 2011

SOMBRA

“Uma sombra ocupa todo o espaço que está atrás de um objeto com uma fonte de luz na sua frente. A luminosidade presente na sombra apresenta-se proporcional à opacidade do objeto ao qual ela se utiliza para ser projetada: opaco, não permite a passagem de luz; transparente, permite a passagem de luz; translúcido, permite a passagem de luz, mas não permite identificá-la.”
Estava a ler a Bíblia, no livro dos Actos dos apóstolos e algo salta das suas páginas, como se precisasse ser visto naquele dia, já que tenho lido esta passagem tantas vezes...
É o princípio da Igreja de Jesus Cristo, a formação primitiva do Corpo, que seria alargado através dos séculos pelos milhares que crêem na Sua obra vicária e perfeita. Acontecem fenómenos incríveis nesse começo, acções extraordinárias do Espírito Santo, milagres inacreditáveis, sinais que gostaríamos de ver repetidos nestes dias de descrença e mornidão espiritual. Mas o que me fascina no meio de actos divinos tão inesperados operados por homens de fé e compromisso, é a expressão “E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres crescia cada vez mais, de sorte que transportavam os enfermos para as ruas e os punham e leitos e em camilhas, para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles” (Actos 5:14,15).
E dei comigo a imaginar Pedro, passando pelas ruas de Jerusalém, a caminho da casa de amigos ou irmãos, fazendo o trajecto necessário para o seu destino. Passa rápido, tem um objectivo em mente, mas aqui e acolá pára, para falar com conhecidos que o interpelam. Nesses momentos fugazes de paragem na sua caminhada, as pessoas saem das casas, trazendo doentes em camas e esteiras, colocando-os numa posição em que a sombra de Pedro os cubra...e estes são curados.
Parece filme de ficção...mas não, é uma realidade diária na vida dos primeiros crentes.
Pedro, uma fonte de luz transparente, que projeta um sombra sobrenatural!
Fico parada e pensativa. Serei uma fonte de luz? Que tipo de sombra projeto na minha caminhada? Se alguém ficar na minha sombra, o que sentirá? Conforto, consolo, resposta, aceitação, alívio, frescura, cura?
Que tipo de sombra projeta a Igreja do século XXI? Haverá nela luz suficiente para a sombra ser de bênção e cura para as multidões? É que naquele tempo, à volta da igreja em formação, havia um reboliço tão grande, um movimento tão rápido, que tudo acontecia como se fosse natural, esperado. E hoje?
O Sol continua a brilhar...onde há luz, tem que haver sombra...será?

1 comentário:

  1. Excelente Sarah...como sempre!!! A tua sombra e frescura e "cura" para mim!!OBRIGADA!

    ResponderEliminar