quinta-feira, 19 de maio de 2011

LEMBRANÇAS


Estes dois últimos meses têm sido de lembranças. Dias marcados no calendário da vida e da morte. Memórias que um dia foram choque, realidade, agonia e lágrimas.
Sem que demos conta, passámos a lembrar o que doeu pelas fotos nas molduras, como se fossem de uma outra vida, quem sabe, de um outro planeta...A dor já não está lá, foi embora, agarrada a lágrimas que não fazem mais sentido e que lavaram os nossos olhos para ver detalhes que de outro modo nunca podiam ser vistos. Ali, diante dos retratos que vão ficando cada vez mais fora de moda, tocamos um riso sem som, sentimos um abraço sem calor, ouvimos uma canção sem refrão e lembramos palavras no silêncio.
Um dia, os seres que foram parte da nossa realidade e que rasgaram o nosso coração com a dor da separação, deixam de ser verdadeiros e esquecemos até a cor dos seus olhos e o contorno dos seus lábios e o que fica, são sons abafados, passos mais longínquos, canções quase em surdina, até desaparecerem num horizonte que não sabemos onde começa e onde acaba. Já não dói, nem se pode chamar já saudade o que sentimos, só sabemos que eles estão lá, dentro de nós, algures no profundo da nossa memória, como se tivessem voltado para fazer parte do que somos, para sempre...

Sem comentários:

Enviar um comentário