terça-feira, 6 de setembro de 2011

RELEXÃO NUM ANIVERSÁRIO



Um bom carro. Sai novinho do stand. Brilho e cor impecáveis. Cheiro único. Pneus sem qualquer sujidade. O dono trata-o com desvelo, limpa imediatamente qualquer poeirinha que caiu sem ele ver e não o leva para casa, porque a sala é pequena demais!
À medida que o tempo passa, o dono já conhece o barulho do motor, as pequenas “manias”, parece até que o banco já se ajusta ao corpo de quem o conduz todos os dias.
O carro vai envelhecendo. O motor foi revisado e está excelente. O óleo é mudado com a frequência necessária. É lavado de vez em quando. As peças desgastadas são substituídas. Perde a elegância, comparado com as máquinas modernas que o ultrapassam nas estradas, mas continua a ser útil... Até que um dia, a sua vida é repensada e vê-se substituído por um mais novo, mais brilhante, mais moderno, com mais potência...Possivelmente ainda irá parar às mãos de outro dono, que um dia também decide que o melhor é vendê-lo para a sucata. E lá fica, no cemitério dos carros. De vez em quando, alguém o desventra, mais uma vez e tira uma peça que ainda estava boa...pelo menos ainda tem alguma utilidade. Mas está lá, completamente esquecido...
Estava aqui a pensar hoje, como a nossa (a minha!) vida pode ser comparada com este carro. Hoje alguém me deu os parabéns por mais um ano de vida e disse: “Ainda estás tão forte!” Realmente o motor está muito bom. Algumas peças têm que ser revisadas, a elegância de linhas foi-se, ainda sou útil para algumas coisas, mas tenho a consciência (que os carros não têm...ou terão? ) que um dia destes, passo a dar mais despesa que utilidade e o melhor é ser arrumada. Só espero é que ainda fiquem algumas peças boas para valerem a outra máquina qualquer que precisa de ajuda!

1 comentário: