domingo, 11 de setembro de 2011

FRUTO...MUITO FRUTO



Esta manhã ouvi uma expressão bíblica que conheço há muito tempo, mas que nunca tinha feito um impacto tão grande na minha alma: “...o justo...dará o seu fruto na estação própria!” (Salmo 1:3).
Na verdade, cada árvore programada pelo Criador para dar fruto, fá-lo em estações diferentes. É certo que no Verão temos uma maior variedade, mas aparecem até na estação invernosa. E a Bíblia não está realmente a referir-se ao fruto suculento, doce e maduro que nos delicia e alimenta, mas ao homem justo, que tem o seu prazer na lei do Senhor e que, foi projectado para dar fruto, muito fruto.
Cada árvore, segundo a sua espécie, floresce e oferece-nos o seu melhor numa determinada estação... Quando os amigos me dizem que devo abrandar, descansar, não fazer, não viajar, deixar outros tomar o meu lugar, são conselhos sábios e para reflexão, mas não encaixam ainda no MEU tempo. Na MINHA estação, eu ainda posso dar fruto.
Tive uma Primavera, onde corria, brilhava e apaixonadamente agarrava todas as oportunidades que espreitavam no meu caminho. Espero que esse fruto tenha sido comido por alguém, tenha dado força a algum cansado. Houve um Verão, onde o fruto era muito, abundante, nem tinha tempo para pensar se tinha amadurecido bastante, se estaria pronto para alguém apanhar e comer... Surgiu o Outono, cálido, dourado, com cheiros e matizes únicos e aqui estou eu, fazendo coisas que nunca pensara capaz de realizar, a maior parte das vezes escondida entre as paredes do meu escritório, mas desejando alimentar de uma outra maneira aqueles que precisam...Virá o Inverno, frio, cortante, solitário, onde é preciso aquecer os pés e calçar mais pares de meias, mas ainda aí, quero dar fruto. Na estação própria, esse é o meu desejo, esse é o meu sonho. E essa é a promessa do meu Agricultor!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

RELEXÃO NUM ANIVERSÁRIO



Um bom carro. Sai novinho do stand. Brilho e cor impecáveis. Cheiro único. Pneus sem qualquer sujidade. O dono trata-o com desvelo, limpa imediatamente qualquer poeirinha que caiu sem ele ver e não o leva para casa, porque a sala é pequena demais!
À medida que o tempo passa, o dono já conhece o barulho do motor, as pequenas “manias”, parece até que o banco já se ajusta ao corpo de quem o conduz todos os dias.
O carro vai envelhecendo. O motor foi revisado e está excelente. O óleo é mudado com a frequência necessária. É lavado de vez em quando. As peças desgastadas são substituídas. Perde a elegância, comparado com as máquinas modernas que o ultrapassam nas estradas, mas continua a ser útil... Até que um dia, a sua vida é repensada e vê-se substituído por um mais novo, mais brilhante, mais moderno, com mais potência...Possivelmente ainda irá parar às mãos de outro dono, que um dia também decide que o melhor é vendê-lo para a sucata. E lá fica, no cemitério dos carros. De vez em quando, alguém o desventra, mais uma vez e tira uma peça que ainda estava boa...pelo menos ainda tem alguma utilidade. Mas está lá, completamente esquecido...
Estava aqui a pensar hoje, como a nossa (a minha!) vida pode ser comparada com este carro. Hoje alguém me deu os parabéns por mais um ano de vida e disse: “Ainda estás tão forte!” Realmente o motor está muito bom. Algumas peças têm que ser revisadas, a elegância de linhas foi-se, ainda sou útil para algumas coisas, mas tenho a consciência (que os carros não têm...ou terão? ) que um dia destes, passo a dar mais despesa que utilidade e o melhor é ser arrumada. Só espero é que ainda fiquem algumas peças boas para valerem a outra máquina qualquer que precisa de ajuda!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

SILÊNCIO



"...O facto é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, os seus corações afastam-se muito.Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para se ouvirem um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão apaixonadas? Elasnão gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque os seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes os seus corações estão tão próximos, que nem falam,somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer de sussurrar,apenas se olham, e basta. Os seus corações entendem-se. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.
Quando vocês discutirem, não deixem que os vossos corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta".
Mahatma Gandhi