sexta-feira, 8 de junho de 2012

NETAS

Tenho quatro. Lindas, preciosas, inteligentes, divertidas, dotadas, sei lá...Só têm um defeito: cresceram!
Viajam sozinhas, vão ao estrangeiro estudar, têm uma conta bancária (com pouco dinheiro, mas têm), namorados, opiniões, cor política, amigos, actividades imensas e... já não precisam da avó!
Não é uma queixa, é uma constatação. Por que haviam de precisar se já se levantam sozinhas (choravam para eu as levantar), sabem cozinhar (de vez em quando ainda se lembram da comidinha da avó...), têm opiniões “formadas” sobre a vida (quando as aconselho, ouvem em silêncio, não sei se escutam se devaneiam, para não me ouvir...)?  
Cresceram, as minhas lindas. Como me orgulho delas, exactamente por isso! A “bebé” mais nova fez 18 anos a semana passada e agora é só vê-las voar, de um lado para o outro (às vezes até fico tonta de tanto voo!).
Mas sei, que lá no fundo, terei sempre um lugar especial na sua vida e no seu coração, diferente das amigas, dos namorados, dos conhecidos, um lugar quentinho, aconchegado e doce e que, andem por onde andarem, podem sempre correr para o colo da avó que nunca deixará de amá-las!



Sem comentários:

Enviar um comentário