quinta-feira, 11 de outubro de 2012

OUTONO


O Outono tem esta magia. A doçura das tardes, a frescura das manhãs e os tons dourados e secos que envolvem a terra. Até os frutos  mudam a cor, parecem mais quentes e mais fortes...
Fecham-se armários, guardam-se fatos de praia e deseja-se que para o ano seja pelo menos tão bom quanto foi este. Há uma nostalgia presente nos nossos gestos, como um adeus de pausa ou um livro que se fecha. Nem sabemos bem se é doce, se é amargo. É apenas difícil de explicar e de sentir. Os primeiros pingos de chuva caem envergonhados e aconchega-se o cobertor, pois a noite começa a ser fresca. O ciclo poderoso e implacável da Natureza. Com leis invioláveis e ditames teimosos e inquebraveis.
 
Dentro de mim também sinto uma mudança. É o Outono da vida. Menos exuberante e com menos flores e pássaros, mas nem por isso com uma beleza menor. Os dias são mais curtos, a vida corre mais lenta. Só as crianças não sentem o Outono. Porque a escola abriu com livros novos a cheirar ainda a tinta fresca e os lápis ainda têm os bicos originais. Correm e brincam, mesmo na chuva que cai. Para eles é sempre Primavera...

Sem comentários:

Enviar um comentário