sexta-feira, 23 de novembro de 2012

DIA DE ACÇÃO DE GRAÇAS


Pena não termos em Portugal a tradição de  um dia de agradecimento e gratidão por tudo o que recebemos da mão do Senhor. Temos importado algumas datas que celebram outras coisas, porem esta, tarda em chegar... mas lá por que não é costume entre nós, não significa que não sejamos gratos. Eu celebrei o meu dia assim:
  • Não tive a belíssima ave assada no forno e enfeitada com as várias iguarias - mas tive o alimento diário, sem falta, que o Pai me promete e por isso Lhe agradeci.
  • Não tive uma reunião de família, dos que estão perto e dos que estão longe. Ninguém viajou de onde quer que fosse para passar o dia comigo - mas senti cada sorriso e cada gargalhada dos que amo. Vi os rostos felizes, sérios, risonhos, das minhas netas, dos meus filhos, dentro do meu coração. E por tudo isso, dei graças
  • Não  tive uma tarde junto à lareira, no quente do amor da família, a jogar um daqueles jogos que sempre aparecem numa tradição de ajuntamento familiar - mas dei graças porque tive força para trabalhar e cumprir o que se espera do meu esforço.
  • Não houve doces, nem bolos ou sobremesas espantosas - mas saboreei devagarinho, uma bela bica portuguesa e por isso dei graças.
E rebuscando no fundo do meu coração, havia tantos outros motivos para agradecer: por paz, no meio do turbilhão da vida; por segurança  e esperança, quando vejo outros a afundar-se em dor e depressão; por amigos fieis, únicos e fortes, que são o suporte da minha existência; pela Igreja, o Corpo onde sou um membro, ou uma articulação, osso ou ligamento, tanto faz, mas que me nutre. sustenta e cura.

Acima de tudo, levanto as mãos por Jesus Cristo, meu Senhor, meu começo e meu final, que enche tudo na minha vida.
Que grande dia de acção de graças!

Sem comentários:

Enviar um comentário