sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

DESILUSÃO


Desilusão é imaginar um quadro a cores e depois vê-lo a preto e branco; é chegar a uma festa e não encontrar os amigos que se queria rever: é programar tudo ao mais ínfimo pormenor e na hora, alguém estragar por maldade ou descuido; é pensar que tem amigos e no dia da necessidade, descobrir que estão muito ocupados e têm mais em que pensar; é ficar em casa, doente, e não ter uma visita de carinho.

A desilusão tem um gosto a comida fria, é como páginas bolorentas de um livro já esquecido ou um espelho que se parte e não devolve uma imagem correcta. Fere a alma e leva tempo para que ela aqueça outra vez. 

O que sentirá o Senhor Deus quando espera algo de mim que não faço, não sou, não consigo? Qual é o Seu segredo para curar essa dor tão aguda e tão cinzenta? Será que nesse dia os anjos O adoram com mais vigor? Que nesses momentos traz à Sua eterna lembrança o quadro completo daquilo que programou para a minha vida?

Queria saber se é só o esquecimento que cura a desilusão. Mas para esquecer é preciso tempo...e esse, tem que ser aproveitado para coisas melhores...

Sem comentários:

Enviar um comentário