quinta-feira, 28 de março de 2013

AGENDA



E marcaram um dia no calendário para a chegada da Primavera. Como se ela obedecesse a calendários! O que aí temos é muita chuva, vento e até granizo, roupas que nada têm a ver com ela.
Faz-me lembrar um parto. O médico diz o dia, a semana em que a criança vai nascer. Umas vezes atrasa, outras adianta. Faz-me pensar num menino com um ano. Uns meninos andam antes deste tempo, outros acham mais divertido só gatinhar... alguém pode controlar a natureza? A exactidão do que irá acontecer hoje ou amanhã?
Tantas vezes programamos a nossa vida ao milímetro. Escrevemos listas e agendamos eventos em mais do que um lugar. De repente, uma notícia, uma dor, um acidente, uma mudança de tempo imprevistos e já nada encaixa...  
Não seria melhor, apesar dos calendários, viver cada dia com o seu mal ou com o seu bem? Seria isto que o salmista pensava quando escreveu: “Os meus tempos estão nas Tuas mãos”?  Na caminhada da vida, estou a ficar mais lenta. Descubro admirada, que o programa que fiz para hoje ficou a meio. Que, entretanto, parei para ouvir o choro de uma amiga, uma pergunta estranha de uma vizinha. Que, ficar uns longos minutos atrás dos vidros da janela para ver a tal chuva cair, traz algum silêncio a um coração que precisa de tranquilidade. Que, o comentário na televisão sobre algo que não se esgota, vai fazer-me pensar. Paro, mais vezes, apesar da agenda. 
Talvez porque sei que tenho que aproveitar todos os minutos que me restam até à Primavera...

Sem comentários:

Enviar um comentário