domingo, 28 de abril de 2013

PARDAIS

Saltitam de um lado para o outro. Fazem voos rasantes no asfalto da estrada. Sobem em velocidade até à primeira  varanda que encontram. Rodopiam, voam, comem, nem se sabe o quê, ali, aqui, acolá e recomeçam tudo, como se nunca o tivessem feito antes. Os pardais da nossa Primavera. Invadem os campos, os quintais, as varandas e as hortas. 
Olho-os admirada e os meus olhos seguem a sua rotina de velocidade.
Quem cuida deles? Há algum departamento científico que os conta, cataloga? Quem se interroga onde pernoitam, o que fazem, se a comida lhes falta? Quem dá pela sua falta ou aplaude quando chegam?



Pardais, aves sem importância. 
E no entanto Jesus disse que valemos muito mais do que eles. Que se Deus alimenta as aves, também tem cuidado de nós. Que eles não plantam, nem ceifam e mesmo assim , o alimento não lhes falta... 

Pássaros que seguem o seu instinto interior, que lhes diz que se um deles cai morto, o Pai Celestial sabe, fez a contagem e preocupa-se com cada um que morre.
Afinal, eu, ser pensante e cheio de iluminação, passo mais de metade da minha vida preocupada com o que hei-de vestir, com o que hei-de comer...ansiosa pelo dia de hoje e pior ainda, pelo de amanhã.

E se eu vivesse como  os pardais? E Se confiasse muito mais em Deus que me protege, ama, cuida e alimenta? 

Sem comentários:

Enviar um comentário