sexta-feira, 28 de junho de 2013

O QUE FAÇO?


Onde vou arrumar tudo o que me deixou? Não há lugar que chegue para tantos livros, cadernos, folhas soltas e preciosas, pequenas notas escritas em guardanapos de papel, enquanto tomava o café na pastelaria.
Possivelmente vão ser distribuídos por aqueles que tiverem algum interesse, talvez doados a uma biblioteca qualquer... impossível deitá-los no lixo...
Onde vou arrumar todas  as recordações, partilha, discussões sobre assuntos sérios, opiniões, sabedoria, experiência, espiritualidade?
Onde vou colocar todas as lembranças da infância, da juventude, da idade adulta e madura, onde as suas palavras ficavam sempre a pairar, como se não houvesse mais nenhum argumento depois do que falava?
O que faço com o vazio imenso que sinto dentro de mim, como se uma torre que sustentava a minha existência tivesse ruído e agora estou ali, parada, no ground zero?
Tenho que passar este momento único, sozinha. É só meu.
Mas sei, que a fortaleza da morte já foi vencida e que um destes dias, tudo será colocado dentro de um lugar dourado, de relíquia, onde posso ver, sentir, sem doer...tenho só que esperar. Esse dia vai chegar.

Sem comentários:

Enviar um comentário