sexta-feira, 22 de novembro de 2013

PESSOAS PERFEITAS





Tenho muita dificuldade em estar com pessoas perfeitas. Sim, falo daquelas que fazem sempre bem, ajudam sempre o próximo, estão lá para a toda a gente nos momentos críticos, são exemplares no trabalho, têm famílias que funcionam como relógios e casas limpas e desinfectadas como a enfermaria de um hospital.
Fico com alergia. Exactamente. Comichão no corpo todo. Porque eu não consigo ser assim, por mais que me esforce. 

Nem sempre sou bondosa, aliás, tem acontecido muitas vezes que penso estar a fazer o bem, mas descubro pela reacção à minha volta que meti os pés pelas mãos. Nem sempre ajudo o próximo, por mais que o coração doa pela infelicidade que me cerca, nem sempre tenho os recursos, às vezes não encontro as palavras...Não sou exemplar no trabalho, embora seja bem esforçada, mas tenho dias que à minha volta o labor  transforma-se em caos. A minha família é linda, mas composta de gente imperfeita. Saem a mim. Ah e a casa. Essa já conheceu melhores dias. Quando a força me atirava para cima do escadote a limpar  e me punha de joelhos a esfregar. Mas esses dias perderam-se na bruma dos tempos...

Gosto mais de estar com pessoas normais. Que se esquecem, que não telefonam sempre, que beijam muito porque gostam de expressar carinho em excesso, cuja casa não está desinfectada, mas cheira a bolo acabado de fazer e a batatas doces assadas...
Gosto de pessoas que ainda têm dúvidas e que vivem cada dia penduradas na graça de Deus. Que sabem que tudo o que são e têm, vem do Alto, descendo do Pai das luzes. Que choram nos momentos errados e soltam uma gargalhada a meio de uma conversa séria. Gosto dos pintores sujos, dos poetas desgrenhados, dos músicos esquecidos e das crianças inocentes...Pessoas perfeitas, por favor, fiquem aí onde estão!

3 comentários:

  1. Lindo, lindo! Escrever é algo que faz com perfeição, Sarah! Quando li o título, Pessoas Perfeitas, pensei de imediato: "Sou alérgica a pessoas perfeitas". E depois quando comecei a ler o texto até me ri sozinha, porque é tal e qual o que sinto.

    ResponderEliminar
  2. Sarah!! A sua escrita toca-me profundamente porque escreve de uma forma tão pura, tão macia...tão perceptível, tão verdadeira, tão deliciosamente meiga, feminina, humana, sensível...que maravilha de textos!!! Que bem me soube ler e beber estas suas palavras...
    Deus muito a abençoe e...não deixe de escrever NUNCA.
    Beijo enorme

    ResponderEliminar