sábado, 19 de abril de 2014

ROTINAS

Faz hoje exactamente um mês que o meu marido entrou no hospital. Dura e longa experiência de melhoras, pioras, mais cirurgias...enfim, um mês de cansaço, receios, preocupação e muito poucas respostas. Pudera, quando os médicos se lembram de falar connosco, metade do que dizem voa por cima da nossa cabeça...os  termos que empregam e a rapidez com que o fazem, são para não dar-nos a oportunidade de interrompe-los  com perguntas repletas de ignorância e ansiedade à mistura. Mesmo assim, temos que estar gratos por tudo o que fazem, pelas muitas horas de trabalho e empenho que colocam em cada caso.
Agora que ele já está em casa, começa um novo tempo para nós: dietas, descanso, muito pouco esforço...
Fico admirada com a maneira como  nos adaptamos ao novo  e ao estranho. Somos assim, animais de hábitos...
É curioso como, de repente, as nossas rotinas são mudadas e damos connosco a fazer coisas que nunca tínhamos feito ou experimentado. Deus, nosso Pai, também estabeleceu estações para os seus filhos: sol, chuva, verão, inverno, sementeira, ceifa, frio calor. Decretou também que a nossa vida experimentasse a sombra da dor e o esplendor da alegria. Que nos alegrássemos pela fartura, para dar-lhe valor quando ela desaparece. E são estas nuances e estas cores diferentes na palete da vida, que a tornam tão especial, tão inesperada e tão rica.
Sei que este novo na minha vida, não tarda vai tornar-se em rotina, que por sua vez será quebrada por algo inesperado, outra vez. Em tudo isto, há no entanto algo que me empolga: Jesus Cristo não muda, não tem sombra de variação, é sempre fiel, eternamente confiável, absolutamente o MESMO. E é isto que traz equilíbrio às minhas variáveis, balanço aos meus dias, sossego ao meu coração.

Sem comentários:

Enviar um comentário