quarta-feira, 25 de junho de 2014

ESQUECIMENTO

Hoje acordei com um pensamento estranho a martelar-me as ideias: um dia ninguém vai lembrar-se mais de mim.
São conjecturas próprias da idade. Quando era jovem, nem tal coisa me passava pela ideia. A vida era para ser vivida... não lembrada. Os amigos eram para divertir... não para guardar. As horas eram lentas demais... havia tanto para ver ainda. Hoje, olho à minha volta e consigo ver percursos, estradas caminhadas, pontes construídas, livros escritos. Na juventude, isso era impensável. E vejo também que as pessoas que construíram as tais pontes, escreveram os tais livros e abriram estradas para que outros pudessem correr mais rápido, já nem são lembradas, nem mencionadas, a não ser nalguma placa escondida, só para referência. 
Sentei-me hoje junto à sepultura do meu pai. Daqui a poucos anos, será apenas mais uma campa, no pequeno cemitério da aldeia. Ninguém se lembrará mais dele, do que disse, da sua voz forte a cantar, do seu entusiasmo a ensinar, da sua "vaidade" em vestir-se bem, do seu porte digno e erecto, mesmo com muitos anos a pesar-lhe sobre os ombros. É próprio, normal, o esquecimento.
Depois, um outro pensamento, este ainda mais sóbrio, assaltou-me sem eu querer. A Bíblia diz que no céu, "não há mais lembrança das coisas passadas". E esta? Também há esquecimento no céu? Afinal a vida não teve só sombras, também teve luz, porque não poderemos lembrá-la? Não teve apenas lágrimas, teve também riso, não teve só morte, também houve nascimentos...por que não vamos mais lembrar?
Deve haver uma razão teológica e de fé, para este enigma. Na minha fraca opinião, a única que me vem à mente é que lá, voltamos ao principio, à juventude, ao entusiasmo pleno. Porque não haverá mais fim, ficaremos sempre no início, porque não haverá mais sol ou sombra, caminharemos à luz inacessível, porque ninguém morre nem nasce, não haverá mais lágrimas...para quê lembrar o que passou, numa vida que começa?

2 comentários:

  1. Existem pessoas inesquecíveis,
    Alfredo Machado é uma delas.
    Quanto a ti querida amiga... eu lembro-me, de ti, do Toni e toda a família. Quando eu não me lembrar é porque também estarei no lugar do esquecimento das coisas passadas, mas aí, estaremos juntos para sempre, porque Deus vai lembrar-se do que fizemos enquanto vivíamos aqui.
    Beijos,
    Tim

    ResponderEliminar
  2. Obrigada. Tim. A minha reflexão quer ser geral, não focada em alguém...mas é uma realidade que os mais novos não entendem. Se tu percebes é porque...estás maduro!!

    ResponderEliminar