sexta-feira, 5 de junho de 2015

CRIANÇA

"Há uma eterna criança dentro de nós..." Já ouviu esta expressão, ou outra parecida com ela?
Estive a pensar que no fundo é verdade. Porque ainda sou atraída por pão quente, não porque seja melhor, mas porque me leva aos meus dias de menina, quando na padaria da madrinha, alinhados contra o balcão, esperávamos que os padeiros trouxessem os tabuleiros cheios de carcaças acabadas de sair do forno. E a madrinha, tinha logo ali um pacote de manteiga, com que besuntava o tal pão.
Quando ponho os pés na praia, recuo no tempo, quando procurava a areia mais grossa, para senti-la a fazer-me cócegas nos pés...
Quando como cerejas, gosto de pegá-las aos cachos e se ninguém estiver a olhar, ainda pinto os lábios com o sumo...
Olho as nuvens e ainda me detenho a descobrir qual delas tem o formato mais exótico...
Pego num par de sapatos novos e cheiro-os, para ficar desiludida logo a seguir, pois já não têm o cheiro a pele, como os da minha infância...
Sinto a brisa a tocar-me nos cabelos e ainda acredito que passou um anjo naquele momento, porque a minha mãe dizia que eles estão sempre à nossa volta...
Deixem-me ser criança! Não quero ver tudo com as cores frias e negras da realidade. Não quero cheirar tudo com o cheiro nauseabundo da maldade. Não quero comer esta comida plastificada, sem sonhar com uma que fazia correr a saliva pelos cantos da boca, de boa que era...
Deixem-me continuar a ser criança.

Sem comentários:

Enviar um comentário