quinta-feira, 9 de julho de 2015

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Comecei o dia com esta pergunta, dirigida a Jesus Cristo em quem vivo, me movo e existo: "E agora, o que fazemos?"
A questão vinha do mais profundo do meu ser, da enorme preocupação que teimava em amarfanhar-me, da inquietude de não saber os passos a seguir, ao olhar para o homem da minha vida e ao vê-lo tão cansado, sem acção e sem vontade de dar um passo que fosse.
É nestes momentos  que temos que ter a certeza  quem somos e a quem pertencemos. É verdade que a vida foi-nos dada com um prazo e a embalagem não traz  a data da validade, mas cá dentro, sabemos que algo está a esgotar-se, como a areia na ampulheta.  
Por isso, fiz esta pergunta  ao Senhor. No plural. Porque sem Ele, nem tenho o direito de fazer perguntas destas. 
E Ele respondeu. Na Sua voz doce, firme, segura e única, a voz que deu vida ao Universo e que faz tremer montanhas  e embravecer os mares, mas que ao mesmo tempo, é capaz de susurrar uma canção de embalar para acalmar o sono de uma criança. Ele dise: CONFIA, DESCANSA, ESPERA!
Confio, Senhor, nunca mentiste, jamais falhaste e a tua graça está cheia de favor e promessas.
Descanso, Senhor, porque não quero que me digas o que disseste aos Teus discípulos: "Homens de pouca fé..."  e porque só o descanso me vai ensinar como és manso e humilde de coração.
Espero, Senhor, porque nesta espera Tu vais mostrar-te forte, o jogo vai mudar, o resultado final és Tu que o determinas e ninguém pode interferir naquilo que Tu já planeaste.

Sem comentários:

Enviar um comentário