quinta-feira, 17 de março de 2016

NOBREZA

Fevereiro foi um mês para alinhar o meu corpo em posições onde a dor fosse suportável. Chegou Março, de manhã Inverno e à tarde Verão...e a dor continua, mas há tanto para viver! 
Empurro a dor e encontro pessoas maravilhosas que pensava eu, nesta fase da minha vida, seria já difícil acontecer. Gente que me ensina, que me desafia, que me estimula a ser melhor, a querer pensar mais alto e voar para lugares onde o ar é mais puro e os pensamentos mais nobres.
Achava  eu, que a esta hora, já tinha conhecido toda a espécie de gente. Agora tenho a certeza que a cada esquina dos meus dias, ainda posso ser surpreendida por alguém tão especial, ao ponto de desejar ainda, sonhar ainda, ser como ela...
A nobreza de coração não tem a ver com idade, com estatuto social ou educação académica. É como uma árvore,  bela, erecta, cujas folhas se renovam a cada estação, sem perder o verde. Está lá, como uma marca. Seja o que for que essa pessoa fale, sugira, lamente ou corrija, a nobreza é a marca . Até quando chora, fá-lo de maneira diferente. As lágrimas não gritam, os soluços não se ouvem, caem em silencio no lenço imaculado e quando nos despedimos, o abraço devolve-nos um perfume nobre.
Março, está a ser muito bom. Aprendi tanto. Aprendi o que é nobreza verdadeira.

Sem comentários:

Enviar um comentário